27 de setembro de 2011

Salve uma vida!


Você já doou sangue alguma vez? Cansamos de ver campanhas na TV tentando conscientizar a população de que a nossa participação é essencial para que seja possível salvar uma vida!

Mas será que ainda não nos conscientizamos de que isso é importante para todos?

Pois é. Eu nunca doei sangue; pode ser que muitos estejam inertes assim como eu, mas pesquisando, senti que isso não depende só do próximo, mas de mim também! Temos que fazer uma corrente para o bem!

Se você ainda não se convenceu sobre a doação, eis algo mais científico. A ciência avançou muito e fez várias descobertas. Mas ainda não foi encontrado um substituto para o sangue humano. Por isso, sempre que precisa de uma transfusão de sangue, a pessoa só pode contar com a solidariedade de outras pessoas.

Bom, mas nem todos podem doar sangue. Eis alguns requisitos que devem ser preenchidos:
  • Estar em boas condições de saúde.
  • Ter entre 16 e 67 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos, precisam de autorização)
  • Pesar no mínimo 50kg.
  • Estar descansado e alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação).
  • Apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).
Impedimentos temporários
  • Gripe: aguardar 7 dias.
  • Gravidez: 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana.
  • Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses).
  • Ingestão de bebida alcoólica nas 4 horas que antecedem a doação.
  • Tatuagem nos últimos 12 meses.
  • Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis, como não usar preservativo com parceiros ocasionais ou desconhecidos: aguardar 12 meses.
Impedimentos definitivos
  • Hepatite após os 10 anos de idade.
  • Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas.
  • Uso de drogas ilícitas injetáveis.
  • Malária.
No caso de homens, eles podem realizar até 4 doações por ano, desde que entre cada uma, haja um intervalo de 60 dias. Já as mulheres, podem realizar até 3 doações por ano, com intervalo entre uma doação e outra de 90 dias.

Doar sangue é simples, rápido e seguro. Mas, para quem o recebe, esse gesto não é nada simples: vale a vida. Seja doador voluntário. Faz bem também para você.

Porque a satisfação de salvar vidas é a maior recompensa.

http://www.prosangue.sp.gov.br/

2 comentários:

  1. Se eu pudesse eu doaria. Tive hepatite e não posso. Sem dúvida é um ato de amor, assim como a doação de órgãos.

    ResponderExcluir
  2. Eu sempre quis doar sangue, ajudar, esse sempre foi um grande sonho meu. Que por muito tempo não vai poder ser realizado, pois tenho quarenta quilo e nunca como o bastante pra engordar dez quilos. Mas ao menos, tento mostrar para quem eu conheço, que doar sangue é questão de sobrevivência, não a de quem está doando, mas a de quem vai receber a doação. E é questão de solidariedade também. Quase sempre sou bem sucedida. E fico feliz por isso. Eu me conscientizo, e se fosse possível, eu doaria com certeza, mas ainda não dá. Mas pelo menos sei que esse é o caminho certo! É uma atitude extremamente correta na qual um dia irei realizar.
    http://lollyoliver.wordpress.com/

    ResponderExcluir